Pesquisar este blog

domingo, 24 de abril de 2011

A ORDEM DOS TEMPLARIOS E OS POBRES CAVALEIROS DE CRISTO

Por Everaldo A Soares


** A ORDEM DOS TEMPLARIOS E OS POBRES CAVALEIROS  ___________________ 


Criada por volta do ano 1119 DC da nossa ERA, a Ordem tinha como objetivo principal proteger a terra santa e suas rotas de peregrinação. Depois de recuperada do domínio muçulmano no inicio do século XII, o rei de Jerusalém Balduino I colocara em pauta um dos principais problemas que assolavam aqueles dias; a sorte de desgraça dos peregrinos que visitavam a  cidade e terminavam desiludidos por causa da ascensão de vândalos e ladrões.

Por causa dos registros concisos da história dos Templários, pouco se sabe sobre a veracidade dos fatos acerca dos pobres cavaleiros, que vai do inicio do século XII e perdura com a Ordem "legitima" até o inicio do século XIV. Do que se sabe sobre a continuidade da Ordem que ultrapassa esse periodo, são especulações de sociedades secretas que, á sombra das ruinas deixadas pelo seu ultimo grão-mestre; Jacques de Molay, emergem como cavaleiros ilegítimos, pois os verdadeiros Templários faziam voto de pobreza e castidade, nada tendo em comum com a nova ordem cercada de obscuridade e mistérios.

Segundo a lenda, a Ordem dos pobres cavaleiros de Cristo caminhava lenta mais digna de crédito sob comando do nobre Hugo de Payens, o primeiro grão-mestre da Ordem dos cavaleiros Templários na hist´ria. Foi dele a idéia de unir monge e cavaleiro para que assim, a milicia de Cristo ( como eram conhecidos ),  recebessem o reconhecimento Eclesiástico no ocidente e lá pudessem difundir suas metas.
Em 1129 é criado um estatuto para definir qual seria o modelo da Ordem, um dos feitos importantes foi o reconhecimento formal da combinação de monge e cavaleiro pelas autoridades da igreja.

Cavalgando nas décadas seguintes e, depois de muitas cruzadas, os Templários fariam histórias que perpetuariam os séculos vindouros e seriam merecedores de confiança de reis por toda a Europa medieval.
As autoridades  Eclesiásicas não fez exessão em apoiar a milicia de Cristo por muitos anos, e varios "papados" incluindo nomes como: Papa honório II, Inocêncio II, Eugênio III entre outros, foram testemunha ocular da ascensão dos nobres cavaleiros.

Mais só foi no inicio do século XIV que os pilares da Ordem ruiram, quando a organização findava com seu ultimo grão-mestre Jacques de Molay praguejando contra o papa clemente V e o rei Filipe da França enquanto queimava na fogueira da santa inquisição.

Desde a primeira viagem de Hugo Payens ao ocidente, a ordem vinha recebendo doações de reis, latifundiarios e pecuaristas da época. Até as ultimas cruzadas, nos dias de Molay, a ordem já possuia incontaveis tesouros, propriedades e criações em todos os rincões da Europa e Oriente. Eles criaram instituições com cartas de crédito nos moldes bancários atuais, entre outros serviços de finança que favoreciam principalmente a nobreza que tinham medo de viajar transportando quantias em dinheiro.

Assim, como era de se esperar, com isso mais tarde veio o colápso da ordem. Os valores materias sobrepujaram os valores morais, os pobres cavaleiros já não eram tão pobres e muitos até se esqueceram do propósito original da Ordem: proteger os peregrinos a caminho da terra santa.
Haviam rumores de que membros da organização se tornara soberbos, outros ficaram orgulhosos e alguns começaram até a burlar o voto de castidade  que outrora fizera.

De um lado havia um clima plangente daqueles que queriam mudar o rumo da irmandade corrompida, de outro, conflitos internos entre cavaleiros, pora a opinião pública em alerta. Não demorou muito, a Ordem mostrara o calcanhar de aquíles para os poderosos que viam na queda da Ordem uma fonte inesgotável de riqueza.
Cobiçando o suposto tesouro que os Templários haviam acumulado em décadas, o então rei Filipe IV da França se reune ao papa Clemente V e influencia a este que a Ordem estária corrompida por blasfêmia e heresia.
Mesmo contrariado o papa consente o processo contra os cavaleiros e, naquele mesmo ano todos os cavaleiros foram convocados a comparecer perante o rei e confessar seus crimes e quebra de votos.

Muitos Templários fugiram com medo de tortura e outras agressões, o rei Filipe espalhou a má fama dos pobres cavaleiros por todo o continente e decretou que eles fossem submetidos a jurisdição local para um interrogatório. Mais nem todos os dignitários eram inimigos da Ordem e, talvez por isso muitos tenham sobrevivido a condenação que levou ao fim dos monges cavaleiros.
Eles foram acusados de homoxessualismo e de prestar culto a ídolos pagãos entre outros delitos dentro da comunidade.

Eles teriam de confessar publicamente durante o capítulo para os membros presentes e, depois receber o castigo. Como estavam todos sob pressão e tortura, não foi difícil para o conselho ouvir confissões inverossímeis. Depois de terminado a perjura imposta aos pobres cavaleiros de Cristo, o grão-mestre Jacques de Molay e seu aliado Godofredo, ainda tentaram uma ultima súplica alegando que estavam sobre tortura da falsa corte, e´que só confessaram para que o flagelo acabasse logo. Mais o papa Clemente já tinha sentenciado ambos fogueira. Eles foram queimadas naquele mesmo dia.

Entre chamas e labaredas de fogo, Jacques de Molay amaldiçoou Clemente e o rei Filipe e Nogareth e profetizou que eles morreriam ainda aquele mesmo ano, e foi exatamente o que aconteceu. Todos morreram de causas naturais naquele mesmo ano, como havia dito Molay. Coincidencia ou não?

Havia o boato de que a igreja e o rei Filipe, logo Após o fim da Ordem, teriam tomado posse de muitas propriedades dos Templários, mais os tesouros e outras fontes de riqueza que a ordem possuia, permanece uma incógnita. Há quem dis que os tesouros escondidos dos cavaleiros de Cristo não eram jóias e ouros propriamente ditos, e sim, documentos. Mais a natureza desses documentos é desconhecida até´ hoje.

Muitas pessoas acreditam que os Templários que sobreviveram deram continuidades a ordem, mais não há registros históricos que comprovem esses boatos. Outros dizem que eles passaram pela revolução francesa, pois rumores corriam sobre alguem que, após a decapitação do rei Luis XVI ,Gritara alto e em bom som: " Jacques de Molay sua morte está vingada", Mais também estaria no campo das suposições. O que se sabe é que de lá para cá as sociedades secretas se proliferaram com o propósito de alcançar o status de sucessores legítimos da Ordem.

Os Templários, no ápce da sua história, foram regados das mais fantasiosas habilidades que lhes atribuiam, tais como: teriam descoberto a América antes de Colombo, seriam os protetores do santo-graal, outros até afirmavam que eles manipulavam urânio, o que nem chega a ser uma vaga alegoria pois, só a poucos anos a fissão nuclear foi possível com toda a tecnologia e avanço bélico que possuimos. O maximo que eles poderiam fazer com esse minério letal era tentar causar algum tipo de envenenamento coletivo, o que também seria uma faca de dois cumes.

Tambem foram-lhes creditado méritos de conhecimento astronômico e conquistador dos mares. Infelizmente nenhuma dessas habilidades ou conhecimento se encaixa no curriculo dos Templários, elas apenas servem para satisfazer o ego daqueles que tinham os cavaleiros como verdadeiros heróis medievais, o que na verdade a Europa deve aos monge-cavaleiros, é o panorama arquitetônico que eles de alguma forma imortalizaram.


Postar um comentário