Pesquisar este blog

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

ERAM OS ANUNNAKS DEUSES DA ANTIGUIDADE ???

Por Everaldo A Soares



A historia que eu pretendo resumir neste post está anos-luz de ser verdade, mas é digna de investigação acurada para aqueles que estão equivocados com a compreensão e natureza de nossas crenças e culturas.

Entre os que se dedicam a tentar explicar o inexplicável, a Arqueologia vai na vanguarda das Ciências e a muito vem jogando Luz num remoto e obscuro passado do planeta.

Tiamat, Gaia, Urântia ou seja lá qual foi o apelido da mãe Terra nos ultimos Milêninos, ela sempre foi Arena de batalhas e palco para discussões controvertidas sobre o passado da humanidade. Uma antiga biblioteca foi descoberta no Iraque - antiga Mesopotâmia - datando da época do Rei Assurbanípal na cidade de Nínive, contendo milhares de Tabletes de argila com Escritas cuneiformes. 

Oriundo dos antigo Sumérios esses registros contam uma história que colocou de cabeça pra baixo a filosofia Ortodoxa de antropologos, teólogos e cientistas  das mais diversas areas de estudo. Esses registros em tabletes contam a história dos Anunnaks, uma suposta raça Alienigena que teria chegado a terra a aproximadamente 445000 anos atras e foram, segundo textos Sumérios, os progenitores da raça humana.

Esses visitantes teriam saído de seu planeta natal - NIBIRU - e viajado para a terra com um propósito unico: a exploração de Ouro.

Contava a história que seu Planeta Nibiru estava com a atmosfera comprometida e para salva-lo, viajaram pelo Sistema solar em busca do minério precioso, que pouco ou quase nada encontrara em Nibiru, esse minério era sem dúvida o remédio que poderia suturar as feridas daquele planeta.

Nos confins da via Láctea está Nibiru, um gigante celeste quatro vezes maior do que a terra, diz a lenda, orbita o Sol numa elíptica alongada cobrindo um periodo de 3600 anos por ciclo orbital. Este é o Planeta dos ANUNNAKS.  Diz o Mito Sumeriano que ALALU Ex- soberano da Realeza de NIbiru , se exilou no planeta terra depois de deposto da monarquia por ANU - pai de ENK  e ENLIL - sendo esses tambem herdeiros do Trono. Enlil e Enk eram meio-irmão do mesmo pai mais de mães diferentes, Enk era o primogêmito de Anu com uma concubina enquanto Seu meio- irmão Enlil, era filho legitimo da esposa oficial do Rei. Essas ambiguidades discutiremos mais tarde aqui nesse artigo.

N O    P R I N C I P I O

Depois de conseguir atravessar o cinturão de asteróides entre Júpter e Marte, Utilizando sua "Armas de Terror ( arma nuclear ) O aventureiro do espaço ALALU cortejara a Terra e seu satélite ( Lua ) por longo periodo de dentro, do que se pode dizer, seu artefato  ( ou uma nave ) espacial.
Ele analisou a composição química da atmosfera terrestre, a combinação dos gases e viu que tudo, desde a agua, era compativel com a vida em seu planeta Nibiru.

Alalu depois de amerrisar nos oceanos da terra, pois a agua era o elemento mais abundante na natureza, fez morada nos pantanos. Dai mais tarde migrara para a Mesopotâmia, nas cabeceiras dos Rios Tigres e Eufrates no antigo Oriente   Médio no " Lar da lonjura " ou Eridu - como viria ser conhecida mais tarde a primeira capital Anunnak.

Alguns experimentos foram necessarios antes de validar o ambicioso empreendimento, pois Alalu agora tinha Planos, se ele estivesse certo e a Terra tivesse o remédio que poria fim a enfermidade de Nibiru, sua empreitada não fora em vão de fato.
"Ouro !!.ouro..." enfim  ouro como nunca visto antes em Nibiru. Alalu sorria desconcertante, depois de ter feito meticulosamente reconhecimento em varios rincões do planeta, ele comunica a Nibiru suas descobertas e anuncia a relevancia de uma colonização de maxima urgencia. E assim, houve acordos, anistias e finalmente a primeira expedição Anunnak  sob o comando de Enk ao planeta terra.

E X P E D I Ç Ã O   D E    E N K

Aproximadamente a 440 mil anos os Anunnaks aterrizaram na Terra liderados por Enk, filho do soberano "Anu", de Nibiru. O objetivo da missão era coletar a maxima quantidade possivel de ouro e enviar para Nibiru, para ser processado e lançado na atmosfera com propósitos vitais, pois o ouro se tornara uma questão de  vida ou morte para os Nibiruanos.

Assim que se adaptaram á terra e seu periodo orbital ao redor do Sol, os Anunnaks fundaram a primeira cidade-sede - ERIDU -  em seguida uma estação em Marte e depois na Lua.
Passados 200 mil anos terrestres os colonizadores se amotinaram nas minas, revoltados com a brutal mão de obra esgotados com o calor e outras interpéries, cansados eles se queixaram a Enk, seu Lider, o qual teve a idéia do uso de engenharia genética nos hominídeos bípedes que já existiam na terra. Depois de inúmeras tentativas e fracassos, nasce o primeiro trabalhador primitivo ( homo-sapien ) com a ajuda de sua companheira e tambem cientista, Enk cria o primeiro híbrido; ADAMU, chamara o novo Ser estéril.

Como os MITOS Anunnaks são extensos e suas lendas faz sincretismos com mitos Egipcios e Babilônios, sugiro algumas pontes para atravessar a história sem prejudicar o seu contexto original.

C O N F L I T O S   N A   C O M U N I D A D E   A N U N N A K

Milênios se passaram na Terra até que se instalasse a aristocracia Anunnak no Planeta. De fato, a demanda do ouro com o tempo criou uma estrutura hierarquizada onde o conflito e a anarquia Reinava soberana em varias comunas coloniais.

Mesmo muito antes dos Anunnaks concederem a civilização a raça humana, no decurso dos seus negócios terrestres somado as gerações descendentes que nasceram na Terra, o contingente de colonos obrigou a nova sociedade Anunnak a se organizar amparados nos moldes politicos de Nibiru, seu Planeta de origem. Assim foi adotada para a realeza a politica da sucessão pela linhagem sanguinia direta, ou seja, a liderança passara sempre para o filho do Rei ou principe com sua consorte oficial.

Enk era primogênito de Anu, soberano de Nibiru, era pai de MARDUK e  NINGISHZIDDA - estes mais tardes viriam ser conhecidos pelos Egpicios de Rã  e Thot. Enk foi comandante do primeiro grupo de Anunnaks que chegaram a terra - depois do exilio de Alalu - ele tambem tinha suas desavenças e rivalidades com seu meio-irmão Enlil. Em geral, os Anunnak desde que aterrizaram na terra, sempre foram rivais nas sua longas dinastias.

Apesar de ser o primogênito de Anu, Enk não era o herdeiro legal da "Coroa" em NIBIRU. Seu meio-irmão Enlil possuia vantagens sobre Ele devido as leis sucessórias, pois Ele era filho do seu pai Anu com sua esposa oficial. Esses conflitos seguiram adiante e foram, por assim dizer, transmitidos para os netos e bisnetos de Enk e enlil, principalmente entre os nascidos na Terra.

S U M É R I A   N A S C E   U M A    C I V I L I  Z A Ç Ã O

Hoje, o que conhecemos por Iraque, foi a muito pertencia a antiga mesopotâmia, terra de deuses e homens que compartilharam e lutaram pelos mesmos interesses dos homens contemporâneos; poder e centralização de negócios. Foi muito mais tarde ali naquelas estepes do Oriente que a Suméria emergiu como o berço da civilização humana.

Num passado remoto, lendas e fatos se entrelaçam no sofisticado, enigmático e repentino avanço da civilização Sumeriana. A escrita cuneiforme ( primeira escrita de que se tem registros na história da humanidade ) a estruturação social, o dominio da agricultura a fabricação de cerâmica e composição de Leis civis e Penais,  sendo muitas delas utilizada até os dias atuais. E principalmente o acervo preciso e frustante - para muitos cientistas -  de seus conhecimentos Astronômicos.

Os Sumérios contavam  com uma lista de Reis ante-diluviano aos quais transcreverei em seguida. Para Eles a Realeza desceu do céu, por isso era digno de preservar esses nomes num registro de forma a eternizar seu legado. Esses nomes foram documentados em tabletes de argila, o que tornariam tais "apólices" uma verdadeira cápsula do tempo guardadas ás gerações futuras. Eram Eles:
Alulim
Alagar
En-men-luiana - de Batibira
En-men-gal-ana
Dumuzi
En-sipad-sid-ana - Larak
En-men-dur-ana - de Sippar
Uban
Tutukin - de Shuruppak
Sukurlan e Ziuzudra

Este ultimo foi o Noé Sumeriano que governou por 36 mil anos até o Dilúvio.
Depois que o dilúvio absorveu e devastou a terra, os Anunnaks teriam concedido a civilização a partir de Ziuzudra  através do culto. Segundo textos Sumérios, o dilúvio aconteceu aproximadamente a 27 mil anos AC - primeira dinastia de UR até 2500 AC.

Após o diluvio a Realeza passou a Kish. depois mais 22 sucessões vem Uruk - diz a lenda, o herói Gilgamesh consta na lista de Reis de Uruk. Passado a dinastia de Uruk, Chegamos finalmente sob  os dominios de UR.
A primeira dinastia de Ur vai até 2500 AC.
Os primeiros reinados ante-diluviano - no caso Alulim - primeira Realeza, duravam extensos periodos de séculos de administração e manutenção do Império, quando se chega no Reinado de Adab, da era pós diluviana, os tempos de reinados vem decaindo resumindo se a apenas algumas poucas décadas de trono.
foram ao todo 11 cidades ao todo que a monarquia esteve em exercicio pós diluvio marcando 134 Reis e cobrindo um periodo de 28 mil anos  de Reinado.

U R   D O S   C A L D E U S

Nos idos dos tempos neoliticos, os Sumérios partiram do Irã para a antiga Caldéia. Então por volta de 3000 AC contruiram 12 cidades- estados, uma delas , era UR, terra natal do pai dos Patriarcas -  Abraão.
Cada uma dessas cidades tinha sua própria divindade e rituais particulares de cada tribo ou comunidade.

A Suméria influenciou a cultura de toda a Mesopotâmia até a dinastia de Agade, em 2300 AC instituida por Sargão I, que tinha raizes nas linguas "Semiticas". A partir de 2000 AC, a Suméria foi gradativamente desaparecendo com a expansão dos Impérios Assírios e Babilônios.
è importante lembrar que os Egpicios assimilaram culturas estrangeiras vindos dos sumérios e outros povos, assim bem como os babilônios - por exemplo: Thot e Rã eram deuses Egpicos, esteriótipos de Marduk e Ningishzidda, divindades sumerianas e, sendo o primeiro ( Marduk ) tambem citado na Biblia Hebraica no velho testamento.

Tudo isso aconteceu providos de acontecimentos de tempos remotos, Quando Enk e Enlil, nas disputas dos jogos de sucessões, Eles provavelmente escolheram "Iniciados"  e ensinaram "segredo dos deuses" para que fossem transmitido a sucessivas gerações de Sacerdotes e Reis daquela linhagem em particular. Foi a iniciação de tais segredos que marca o inicio do Sacerdócio e os direitos legais para a linhagem de Reis por laços sanguineos e pela lei da semente, segundo decreto do próprio estatuto Anunnak.

Lembrando aqui um detalhe importante na sociedade Judaica dos Tempos de Jesus; apesar dos Judeus estarem divididos em varios segmentos da comunidade por exemplo existiam os Zelotes, Essenios, Fariseus e Saduceus, eles eram unidos por laços de sangue pelas tribos de Jacó. Mais o direito ao Sacerdócio era dos Saduceus por sucessão de linhagem sanguinea. Não foi atoa que Anás depois de deposto por Roma, tenha transferido a realeza e a administração do Templo a Caifás, o novo Sumo- sacerdote legitimo por sucessão e genro de Anás. Os Fariseus e Saduceus eram ardentes rivais, pois os Fariseus acusavam os Saduceus de terem usurpado a linhagem de Arão, irmão do profeta Moisés. Parece que depois da destruição do Templo de Salomão em 70 DC, as diferenças acabaram com a diáspora  ( dispersão ) das tribos Judaicas pelo mundo.

E N K    C O N V O C A    E N D U B S A R

Palavras de Endubsar Sacerdote do deus Enk

" E me levaram velozmente entre a terra e o céu, pude ver a terra e as aguas... e me deixaram na ilha...na morada do grande deus...um resplendor me envolveu e me afligiu...e cai no chão vazio do espirito da vida. Eu estava num recinto de escriba...e a voz voltou a falar dizendo:' Endubsar filho da cidade de Eridu, meu fiel servo, sou seu senhor Enk. Lhe convoquei para que registre minhas palavras...o futuro julgará, pois ao final dos dias, um dia de julgamento haverá...durante 40 dias e 40 noites eu falarei e voce escreverá, 40 será a conta de seu trabalho aqui, pois 40 é o meu numero sagrado. Durante 40 dias e 40 noites não comerás nem beberás...

O   F I M   D A    C I V I L I Z A Ç Ã O   S U M É R I A  -  O   D E C R E T O   E   A   L E I   D A   S E M E N T E

Era direito legítimo entre os Pontífices Anunnak ter uma esposa oficial e, uma ou mais concubinas, dependendo do acordo matrimonial. Por decreto o filho primogênito era o sucessor de seu pai.
Foram essas leis a causa de infindaveis conflitos na Realeza, quando o primogênito não era o filho da esposa legitima.
Aqui cabe uma observação importante. È bastante provavel que Abraão, que migrara de UR para a Palestina, tenha tido contato com costumes Caldeus e transmitidos as suas futuras gerações. O que não passa despercebido, pois logo no inicio do pentateuco Bíblico, fica explicito o epsódio do qual Sara e Agar teve desavenças depois do nascimento do Principe Isaac, futuro membro legal da familia.
Ora! era plausivel pela lei da sucessão que o filho da promessa, tinha de ser nascido da esposa oficial do Patriarca Hebraico. Neste caso, Ismael mesmo sendo o primogênito de Abraão era filho de uma Concubina, isso anula totalmente o direito a coroa e o Sacerdócio.
Mais não para por ai, conflitos de sucessões dentro da realeza não é um privilégio Anunnak. Existem um acervo de extensos assuntos acerca da politica do Sacerdócio, em antigos textos Judaicos. Após o caso Isaac e Ismael, filhos de Abraão com mães diferentes, assim tambem foi com Jacó e Esaú, filhos de Rebeca com o Patriarca Isaac, após o controvertido nascimento dos gêmeos estes reviveram as rivalidades da primogenitude.

Segundo consta nos registros Hebraicos, Jacó Usurpou Esaú desde o ventre da  mãe fazendo com que Rebeca, varias vezes, se queixasse a Javé. Depois de adulto, Jacó trapaceia outra vez convencendo o irmão a vender-lhe a sua primogenitude em troca de uma sopa de lentilha ( ver Gênesis ), depois mais uma vez, rouba a benção de Esaú quando o velho Isaac ja está quase impossibilitado de enxergar.
Epsódios de natureza corruptível nas raizes Judaicas inlamou a íra de Àrabes e Judeus no decurso da sua história, criando segregação e tirania que perdura até os dias atuais no Oriente médio. ( ver conflito entre Israel e Palestinos )
Muitos das historias e mitos Gregos, babilonios, Egipcios até mesmo Hebraicos as vezes se fundem num unico sincretismo. Mesmo que sejam coincidencias é digna de atenção e não deveriam ser tratados como uma aboninação literária. Quero encerrar este tema com uma nota de observação:
Livro de Enoc o sexto depois de  Adão. Enoc foi pai de Matusalém, que foi pai de Lameque, que foi pai de Noé.

Enoc cap 12-4: " E eis que as Sentinelas chamaram-me, Enoque o escriba, "
Cap 14-10: "Eles me elevaram no alto ao céu" ...12 e aproximei-me de uma espaçosa habitação...16 seus pisos eram de fogo...17 examinei-a atentamente e vi que tinha um trono exaltado...21 alguem grande em glória assentava-sa sobre ele...24 então o senhor com sua propria boca chamou-me...
Cap 15-1; " Tu escriba da retidão aproxima-te..."
Cap 105-1:" Depois de um tempo meu filho Matusalém tomou uma esposa para seu filho Lameque. Ela ficou gravida, e deus a luz um filho, a carne do qual era tão branca quanto a neve....cujos olhos eram belos...Lameque, seu pai, ficou com medo dele...eu gerei um filho diferente dos outros filhos. Ele não é humano... Ele parece como se não pertencesse a Mim, mas aos Anjos."
Palavras de Lameque, filho de matusalém, filho de Enoc.

NUMERO 40

O numero 40 tem muito significado tanto para o Judaismo como para os Cristãos. Moisés peregrinou 40 anos pelo deserto com os Israelitas, tambem subiu ao Sinai e lá permaneceu por 40 dias- sem comida nem bebida- até que Deus lhe entregasse determinadas instruções junto com os respectivos mandamentos.
Elias depois de comer e beber, viajou por 40 dias até o monte sagrado - sem comida e sem bebida- até horebe o monte de Deus.
Jesus jejuou por 40 dias e 40 noites no deserto. Tambem não comeu nem bebeu. Varias são as passagens onde 40 é um numero de profundo significado na fé hebraico desde nossos ancestrais até nossos contemporaneos.
Postar um comentário